Motor a Combustão: veja a evolução e o impacto desta máquina

O motor a combustão interna ou motor endotérmico é um mecanismo largamente utilizado no nosso cotidiano. Sem ele, muitas das atividades que são consideradas simples ou quase não são notadas seriam impossíveis ou muito mais custosas. Mas como se deu o desenvolvimento dessa máquina e quais são as suas principais modificações na atualidade?

Invenção do motor a combustão: uma revolução na história do homem

O crédito da criação o motor a combustão é atribuído ao engenheiro, físico e inventor alemão Nikolaus August Otto. Sua invenção, datada do ano de 1866, revolucionou a indústria, que na época utilizava largamente o motor a vapor. Ele desenvolveu o princípio de funcionamento conhecido como Ciclo Otto, que consiste em transformações termodinâmicas que podem ser observadas nos automóveis até os dias de hoje.

O Ciclo Otto possui quatro partes. Na primeira, a Admissão, a chamada câmara de combustão, onde o processo ocorre, se expande, causando a entrada de combustível e ar. Em seguida, ocorre a Compressão da câmara. No terceiro passo, a Explosão, libera-se uma faísca em seu interior, gerando uma ignição que expande novamente a câmara de combustão. Por fim, no Escape, os gases formados na combustão são expelidos e as válvulas para entrada de ar e combustível são abertas, reiniciando o processo.

Todo esse processo combinado a um sistema de transmissão define o que se chama de motor a combustão interna. No entanto, essa máquina tão importante e engenhosa já sofreu diversas modificações desde a sua criação, levando a vários tipos existentes atualmente.

Componentes mecânicos mais importantes

Há diversas estruturas de transmissão para motores endotérmicos. O utilizando mais largamente na atualidade tem os seguintes componentes principais, que se dividem entre móveis e imóveis:

Componentes imóveis:

    • Bloco, a estrutura que sustenta os cilindros e o eixo de transmissão.
    • Cárter, que assegura a lubrificação das peças móveis do motor.
  • Cabeça do Motor, onde ficam as velas de ignição e as válvulas.

Componentes móveis:

    • Cambota, que transforma o movimento linear do pistão em circular.
    • Pistão, que se move dentro do cilindro definindo o volume da câmara de combustão.
    • Biela, que liga o pistão à cambota.
  • Árvore de Comando das Válvulas, que abre ou fecha as válvulas de acordo com o passo do ciclo.

Outros componentes são as Válvulas de Admissão e Escape, que controlam a entrada e saída de ar e combustível da câmara de combustão. Além disso, também há a Vela de Ignição, que libera a faísca que desencadeia a queima do combustível.

Existem várias construções para esse motor, variando a quantidade de cilindros e o seu número de tempos, ou seja, os passos que são executados no ciclo.

 

Fonte: https://fluxoconsultoria.poli.ufrj.br/